Categorias
Energia Renovável Inovação

Sustentabilidade e Economia: amigas inseparáveis

     No atual cenário, tornou-se comum vermos sustentabilidade e economia juntas em uma frase, e nesse texto não será diferente. Se você acompanha as notícias do dia a dia, possivelmente já deve ter se deparado com algo envolvendo crises hídricas ou alguma manchete anunciando um aumento no valor da conta de luz e, sinto muito lhe dizer, mas essa é uma realidade cada vez mais presente. Por conta disso, muitas pessoas estão se preocupando mais com essas questões, resultando no tema do texto desta semana: Instalações sustentáveis.

  A possibilidade de criar um ambiente onde o desperdício de água e energia é reduzido exponencialmente, acaba se tornando uma ideia agradável tanto para os moradores quanto para os possíveis investidores do imóvel, uma vez que essa iniciativa ajuda na valorização do mesmo. Neste texto, iremos mostrar exemplos que podem parecer simples em tese, mas o resultado é efetivo e tem um impacto extremamente positivo para o meio ambiente.

INSTALAÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA O USO DA ÁGUA

   Apesar de não ser um tema diretamente ligado com a carta de serviços da INOVATECH, não podemos deixar de comentar sobre o assunto, pois a cada dia se mostra mais necessário saber usar da melhor maneira nossos recursos hídricos.

  • Água da chuva:

   A chuva é um fator importante para o mundo, isso é inquestionável, afinal de contas a chuva é fonte de água e esta é indispensável para a vida. Mas como posso utiliza-la ao meu favor? Simples, usa-se o Sistema de Captação, no qual funciona com calhas que coletam a água que, por meio de tubulações é armazenada em um reservatório. Em seguida é filtrada pois pode ser acompanhada de objetos.

  • Poço Artesiano:

   Esta é uma estratégia já utilizada há anos, consiste em um grande buraco feito no solo que capta a água ao atingir o lençol aquífero, tudo isso é realizado sem a necessidade de aparelhos, apenas usando a pressão feita pela corrente d’água.

Vale ressaltar que ambas as estratégias para a reutilização da água são indicadas para fins não potáveis, uma vez que não há uma verdadeira filtragem da água utilizada.

INSTALAÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA O USO DA ENERGIA ELÉTRICA

   Agora entrando no assunto que dominamos, vamos comentar sobre alguns exemplos de como você pode usar sua energia elétrica de maneira sustentável. Muitos já pensam na energia solar e as placas fotovoltaicas, mas antes de falarmos sobre essas grandes instalações, vamos conhecer algumas maneiras mais simples e menos conhecidas, o que acha?

  • Fios elétricos sustentáveis:

   Como sabemos, é necessário que os fios sejam envoltos em um material isolante, porém muitos dos materiais disponíveis têm um período de decomposição alto, beirando os 200 anos. Dito isso, foi criado um fio elétrico revestido de “polietileno verde”, sendo este um material biodegradável proveniente da cana-de-açúcar. Além de ter um impacto reduzido no meio ambiente, especialistas comprovaram que ele é 20% mais resistente do que os revestimentos utilizados hoje.

  • Placas solares dedicadas a chuveiros:

   Se você acompanha o blog, deve ter visto que as placas fotovoltaicas é a melhor opção para diminuir o consumo da energia, porém as vezes é necessário um alto investimento. Tendo em vista que grande parte do consumo elétrico em casas se origina do chuveiro, foram projetadas placas dedicadas para seu uso. Essa instalação acaba se tornando mais viável e mais barata, resultando também em uma grande economia de energia. Devido ao crescente uso da energia solar as pessoas já estão começando a comprar chuveiros híbridos, no qual caso a energia absorvida na placa seja insuficiente, aciona-se a energia elétrica.

  • Lâmpadas solares:

    São lâmpadas que recebem e armazenam a energia solar, sendo acionadas automaticamente à noite. Este tipo de equipamento não possui nenhum fio, sendo assim, é impossível de ser conectado à energia elétrica, evitando qualquer tipo de desvio de corrente.

    Agora sim, podemos falar das grandes instalações sustentáveis voltadas a energia solar. Como citamos durante o texto, as placas fotovoltaicas é uma das formas de instalação sustentáveis mais conhecidas, porém sua tecnologia ainda não está ao alcance de todos, pois sua instalação tem um custo mais elevado. O retorno de um sistema fotovoltaico é de longo prazo, sendo possível que todo o excesso de energia volte para a rede, gerando descontos na conta mensal.

   Não entraremos em todos os detalhes aqui, pois no nosso blog é possível encontrar um texto repleto de informações sobre esse tipo de instalação. Vimos que existem diversas maneiras de ter um ambiente sustentável e eficiente, reduzindo seu gasto com água e energia elétrica, ao mesmo tempo em que ajuda o meio ambiente. Além disso, podemos observar que a maneira mais conhecida de obter uma instalação sustentável é através da captação de energia solar por placas fotovoltaicas.

    Felizmente, ao se tratar desse assunto, a INOVATECH é especialista, quer saber mais sobre um painel fotovoltaico? Já pensou em instalar um, mas não tem ideia de quanto irá gastar? Faça já um orçamento gratuito conosco, temos uma equipe preparada para ajudá-lo!

Categorias
Engenharia Elétrica

Porque a Copel quer que você tenha painéis fotovoltaicos?

      Como já foi visto no texto “Energia Solar: Fonte de energia do presente para o futuro!” disponível aqui no Blog, os painéis fotovoltaicos fazem parte de uma tecnologia cada vez mais presentes em residências e empresas. Além de diminuir o impacto ambiental, a instalação de painéis é uma medida que acaba pesando menos no bolso de quem resolve adotar, sendo que o retorno, a médio e longo prazos, é alto. Porém, ainda temos uma questão a responder: Qual é a vantagem dos painéis fotovoltaicos para empresas distribuidoras de energia, como a Copel?

 

      Com o aumento dos aparelhos eletrônicos, a tendência é cada vez mais a energia elétrica ser utilizada. Na época de altas de temperaturas, principalmente no verão, muitas casas utilizam climatizadores e condicionadores de ar, acarretando em um maior uso da rede elétrica. Para conseguir suprir a demanda de energia, a Copel coloca em prática algumas estratégias, como o uso de suas termelétricas, porém isso encarece o custo da energia, pois a distribuidora precisará injetar mais energia na rede. No entanto, se o número de unidades geradoras de energia solar fotovoltaica aumentar, muitas casas ou empresas já produzirão sua própria energia elétrica, sendo inclusive capazes de gerar um crédito de energia com a empresa distribuidora. Esse crédito é injetado na rede caso a energia produzida ultrapasse a energia consumida e poderá ser utilizado posteriormente em dias que há pouca ou nenhuma geração, como dias chuvosos ou de noite. Com as pessoas gerando sua própria energia e com os créditos, o uso da rede elétrica acaba “desafogando”, fazendo com que precise ser ativada uma menor quantidade de termelétricas, consequentemente, não elevando tanto o custo da energia, pois não foi preciso injetar tanta energia na rede como anteriormente.

 

      Vale citar também que com o aumento da energia produzida por painéis fotovoltaicos, a Copel terá menos prejuízos envolvendo a perda da transmissão de energia, sendo elas técnicas, como a transformação da energia elétrica em térmica nos condutores, ou comerciais, que muitas vezes são ligações clandestinas, furtos etc. Essa perda de energia se dá pelo fato de grande parte das usinas geradores serem distantes dos locais de distribuição, resultando até mesmo em uma energia de menor qualidade, pois acaba sendo produzido mais do que é comercializado. Em suma, pode-se ser observado que os painéis fotovoltaicos são vantajosos para os consumidores e para os distribuidores de energia elétrica, além disso, sendo o Brasil um país tropical, essa será uma tecnologia que poderá ser muito bem explorada em nosso território, pois é limpa, ecológica e renovável, combinando perfeitamente com o clima de país.

 

      Faça já um orçamento totalmente gratuito e saiba quanto você economizaria ao utilizar painéis fotovoltaicos!

Categorias
Engenharia Elétrica Inovação

Como reduzir o valor da fatura de energia elétrica

      A Eficiência Energética consiste na redução da energia utilizada para a realização de um mesmo serviço ou atividade, sem qualquer prejuízo. Por exemplo, é possível ter a mesma claridade em uma sala substituindo uma lâmpada incandescente por uma lâmpada de LED com mesma luminosidade e que consome menor quantidade de energia. Melhorar a eficiência energética de um processo provoca a redução no consumo da energia primária necessária para produzir um determinado serviço. Segundo a PROCEL (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) o uso de equipamentos mais eficientes e instalações elétricas dimensionadas gera uma economia de até 8,8% no consumo de energia elétrica. Basicamente, as principais práticas envolvem o combate ao desperdício de energia procurando conhecer onde, como e quanto de energia é utilizado, como estão as condições dos equipamentos e onde se encontram os desperdícios de energia, buscando o aproveitamento da energia “perdida” nos processos de conversão. Um dos índices que nos ajudam a medir nossa eficiência energética é o Fator de Potência.

      O Fator de Potência (FP) é um coeficiente que está entre 0 e 1 e que indica o quão eficiente é o consumo de energia elétrica por um equipamento ou sistema. Quanto mais próximo de 1, melhor é o aproveitamento energético do equipamento, e quanto mais baixo for este número, menor a eficiência ou rendimento do equipamento. Para entendermos melhor esse conceito, precisamos saber um pouco mais sobre a potência de um equipamento elétrico, que pode ser descrita em 3 partes:

Potência Reativa: é a potência que é armazenada e retorna para fonte sem realizar trabalho útil;

Potência Ativa: é a potência que realiza trabalho útil em um processo ou equipamento, ou seja, é de fato utilizada na conversão de energia elétrica em mecânica, térmica, etc.;

Potência Aparente: é a potência que se mede com os medidores convencionais e é a soma vetorial das outras duas potências;

      Uma analogia bastante utilizada para exemplificar essas 3 potências é de um copo de chopp. Pode-se dizer que a Potência Aparente é a altura inteira do copo. A Potência Reativa é a espuma que ocupa espaço no copo, mas não mata a sede. A Potência Ativa é o líquido, que é o mais importante e mata a sede, como mostra a imagem a seguir:

      O Fator de Potência é a razão entre a Potência Ativa e a Potência Aparente. Segundo a Legislação Brasileira o FP mínimo permitido para as contas de energia é de 0,92. Abaixo deste valor a concessionária deve cobrar multa na fatura de energia seguindo o modelo a seguir:

      Consequentemente, quanto menor o FP, maior vai ser a multa gerada. As principais causas do baixo Fator de Potência são lâmpadas fluorescentes, transformadores sem ou com baixa carga e motores de indução (motores mais usados na indústria). Quando cargas indutivas, como em um motor elétrico, são acionadas com alimentação por corrente alternada, ocorre um fenômeno de defasagem entre as ondas da corrente e da tensão, causando o surgimento da Potência Reativa. Isso não quer dizer que o motor seja ruim, mas é uma característica de equipamentos que trabalham por indução eletromagnética. A forma de compensar esse baixo Fator de Potência é a instalação de bancos de capacitores em paralelo na entrada de energia ou no próprio equipamento com carga indutiva. Esses bancos introduzem na instalação uma carga capacitiva, com efeito contrário da carga indutiva. Isso compensa o baixo Fator de Potência e ajusta o valor para mais próximo de 1.

Quando o valor do Fator de Potência é corrigido, diversos benefícios podem ser percebidos:

  • 1) Redução dos valores da fatura de energia elétrica;

  •  
  • 2) Aumento da eficiência energética da empresa;
  •  
  • 3) Aumento da vida útil dos equipamentos e das instalações;

  •  
  • 4) Redução das perdas de energia elétrica por aquecimentos nos condutores;
  •  
  • 5) Aumento da capacidade dos equipamentos de manobra;
  •  
  • 6) Melhoria da tensão;
  •  
  • 7) Redução da Potência Reativa.
  •  

      É sempre válido lembrar que a consultoria em Eficiência Energética e a correção do Fator de Potência devem ser feitas somente por profissionais qualificados. A INOVATECH Empresa Júnior conta com uma equipe especializada no assunto, clique aqui e agende uma visita agora!