O que é Engenharia Reversa?

A Engenharia Reversa pode ser observada desde cedo na vida das pessoas pois toda criança, em alguma fase da sua vida, já desmontou um brinquedo ou algum aparelho eletrônico para entender como eles funcionam, essa ideia de se desmontar e estudar o funcionamento de um brinquedo ou aparelho qualquer vai muito além de uma brincadeira de criança. A técnica consiste essencialmente em descobrir os princípios tecnológicos e o funcionamento de uma máquina por meio do desmanche e fracionamento de suas peças.

Não temos uma data correta do surgimento dela, mas durante a Segunda Guerra Mundial, houve um grande uso dela quando os japoneses começaram a estudar as armas de seus inimigos, desmontando-as e entendendo o funcionamento. Ela também é muito utilizada na espionagem industrial por empresas, que utilizam disso para copiar e aprimorar a tecnologia de seus concorrentes.

Entretanto, a engenharia reversa não é utilizada somente para copiar produtos, mas também para entender o funcionamento de algo e com isso aprimorá-lo e até desenvolver uma nova tecnologia através dele. A engenharia reversa também é utilizada na engenharia de software em programas que não possuem código aberto e por meio dela pode-se fazer análises minuciosas sobre o comportamento do software para que possa entender o que se passa internamente e assim poder ser reproduzido.

Quer saber como utilizar os benefícios da Engenharia Reversa na sua empresa? Clique aqui e fale com a INOVATECH!

BNDES muda regra para financiamento de painéis solares

Em junho deste ano, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou mudanças no Programa Fundo Clima, no subprograma Máquinas e Equipamentos Eficientes. Agora, pessoas físicas terão acesso a financiamentos para a instalação de sistemas de aquecimento solar e sistemas de cogeração (placas fotovoltaicas, aerogeradores, geradores a biogás e equipamentos necessários).

A implantação de sistemas de geração de energia solar permite aos usuários reduzirem os valores gastos com a conta de luz, já que passarão a gerar sua própria energia e poderão, dependendo de sua região, ganhar créditos vendendo o excedente da energia produzida para a distribuidora. Além disso, o benefício se estende também para o sistema elétrico, já que com vários pontos de geração espalhados por residências e comércio, reduz-se a demanda energética da rede e com isso diminui-se o risco de interrupção do fornecimento de energia.

Os limites do Fundo Clima atingem até 80% dos itens financiáveis, podendo chegar a R$ 30 milhões a cada 12 meses por beneficiário. Tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas (empresas, prefeituras, governos estaduais e produtores rurais). Não há valor mínimo para aquisição dos equipamentos e o prazo é de até 12 anos. A taxa de juros depende da forma de apoio, do porte do cliente e de cada item financiado, conforme a seguir:

Como os sistemas de geração tem garantia de funcionamento e geração energética por no mínimo 20 anos, essa mudança no programa é um atrativo imenso para conquistar a liberdade energética e se livrar das multas, bandeiras tarifárias e constantes reajustes no valor pago pelo kWh. O objetivo é financiar produções e aquisições com altos índices de eficiência energética, ou que contribuam para redução de emissão de gases de efeito estufa. A mudança é mais uma atitude do BNDES para incentivar o cidadão brasileiro a investir em sustentabilidade e economia de energia.

E aí, vamos acabar com sua fatura também?

História das grandes marcas

No início da revolução industrial com o começo da produção em massa de itens de consumo, as marcas surgiram para diferenciar os produtos de diferentes fabricantes para atrair a atenção dos clientes para uma nova gama de produtos que começava a surgir. Isto servia principalmente para testar quem não conhecia aquele produto que, muitas vezes vinha de longe e sua qualidade era igual ou até superior àquele que estava acostumado a comprar de um fornecedor local.

Com o passar dos anos, as marcas se tornaram cada vez mais importantes, as indústrias começam a perceber que a marca em si já se tornava objeto de desejo dos consumidores, desenvolvendo relacionamentos muito menos racionais e mais emocionais com elas. Assim, embalagens diferenciadas, logotipos, slogans, anúncios e cartazes ganharam mais cores, e elementos criativos começam a surgir para atrair o público.

Abaixo temos algumas histórias de grandes marcas da indústria mundial:

  • Bugatti

A marca Bugatti teve origem com o italiano Ettore Bugatti no início do século 20, o jovem milanês, filho do arquiteto e designer Carlo Bugatti, criou seu primeiro veículo motorizado aos 18 anos, e seu primeiro carro, o Type 2, ganhou um prêmio internacional em 1901.

Foi apenas em 1909 que Ettore fundou a Automobiles Ettore Bugatti, depois de uma pausa durante a Primeira Guerra Mundial, a empresa retomou as atividades com foco em carros de competição na década de 20 e, em 1925, os veículos da Bugatti já acumulavam a impressionante marca de 412 vitórias. Depois desses acontecimentos, várias reviravoltas aconteceram: Jean Bugatti (filho de Ettore Bugatti) morreu aos 30 anos de idade em um acidente automobilístico, a Segunda Guerra explodiu e o próprio Ettore faleceu em 1947.

A empresa entrou em declínio e fechou em 1956, sendo ressuscitada no fim da década de 80 por um empresário italiano responsável pela criação do Bugatti EB 110, um dos modelos mais icônicos da marca.

No entanto, a fase italiana da Bugatti durou pouco: em 1995 a “nova” empresa também faliu, 3 anos depois, a Volkswagen resolveu investir pesado para trazer a marca de volta. E em 2005, depois de muito dinheiro e tempo investidos, o Bugatti Veyron nasceu: ele foi batizado em homenagem a Pierre Veyron, um dos pilotos que venceu a competição de Le Mans em 1939, e foi o principal responsável pelo renascimento da Bugatti na era moderna, popularizando assim a marca novamente.

  • LEGO

A Lego nasceu de uma das maiores crises já vividas pela Europa, Ole Kirk que era o dono de uma loja de artigos de madeira, na cidade de Billund onde criava e vendia móveis para as casas dos fazendeiros da região. Em 1929 a Grande Depressão trouxe um cenário difícil para o carpinteiro, já que ninguém mais podia gastar dinheiro com nada além do necessário, ele decidiu criar miniaturas de móveis e foi isso que o incentivou a produzir brinquedos.

O nome Lego é uma redução da frase “leg godt”, que, em dinamarquês, significa “brincar bem”. No início, era tudo de madeira: cofrinhos, carros, caminhões, casas. O negócio não era muito rentável, mas era melhor do que continuar vendendo móveis, que poucas pessoas podiam pagar naquele momento. Alguns agricultores da região, por vezes, ofereciam comida em troca dos brinquedos.

Quando a Segunda Guerra Mundial terminou, em meados da década de 40, o plástico chegou à Dinamarca, uma das primeiras medidas de Kirk foi comprar uma máquina de moldagem do novo material. Ele patenteou, então, as famosas peças de encaixar e assim construiu o seu legado através dessa simples ideia.

  • Activia

A trajetória da Activia começou em 1980 quando pesquisadores e cientistas da Danone deram início aos estudos sobre como criar um iogurte funcional. Depois de anos de estudos os cientistas do Vitapole, centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Danone, criaram um iogurte que além de ter todos os componentes dos produtos homônimos, ainda continha o microrganismo vivo(DanRegularis), o que melhora o trânsito intestinal em até 40%, quando consumido diariamente.

O lançamento começou na França em 1987 com o nome Bio. No começo o produto não teve grande sucesso, mas ao ser relançado em 1997 como ACTIVIA e com grande investimento de marketing, o produto alcançou sucesso mundial tornando-se o segundo na área da saúde intestinal e o primeiro no mercado europeu e norte-americano.

No Brasil, só contaria com Activia em 2004, mas ela logo se tornou a principal marca no setor. Percebendo que o consumo poderia ser bem aceito por outros públicos (o foco principal eram as mulheres) expandiu sua campanha para homens, idosos e crianças lançando produtos com versões light, com polpa ou pedaços de frutas e natural.

Por que investir em um projeto de Instalações Elétricas

Quando se trata de um projeto de instalações elétricas, normalmente as pessoas não veem a real importância de se realizar o projeto. Um projeto de instalações bem feito pode reduzir significativamente a conta de luz em casas e empresas, tanto como evitar danos causados por acidentes elétricos. Neste artigo, explicaremos a importância do projeto de instalações elétricas e seus principais benefícios.

1. Economizar na fatura de energia elétrica

Um fio elétrico com tamanho não adequado para o uso, pode esquentar mais do que deveria, dissipando energia elétrica na forma de calor. Tomadas específicas para equipamentos de alta potência (ar condicionados, máquinas de médio/grande porte e motores) devem ser dimensionadas e planejadas para equipamentos específicos, caso isso não seja levado em consideração na hora da instalação dos equipamentos, o aparelho além de não trabalhar de forma correta, consome ainda mais energia e diminui o índice de Fator de Potência, gerando multas enormes na fatura de energia. Além disso, consultar uma empresa especializada para adotar medidas mais sustentáveis, como utilizar a energia solar fotovoltaica pode ser uma ótima alternativa para economizar.

2. Economizar materiais na obra

Ao final de toda obra, uma boa quantidade de materiais acaba sempre sobrando, que muitas vezes é descartado. Isso pode ser evitado com um bom projeto de instalações, estimando a quantidade certa e o melhor tipo dos fios e eletrodutos que serão utilizados antes da obra começar, otimizando o uso de materiais e ajudando a economizar.

3. Evitar danos na rede e incêndios decorrentes de acidentes elétricos

O incêndio no Edifício Wilton Paes de Almeida, no centro de São Paulo, que vitimou nove pessoas e pôs abaixo 24 andares entrará para as estatísticas da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel). O incêndio começou em decorrência de um curto-circuito, atribuído ao excesso de equipamentos em uma mesma tomada, às “gambiarras” elétricas, às instalações elétricas antigas e à falta de manutenção das instalações. É importante lembrar que uma instalação elétrica não deve ser feita apenas para funcionar, mas também para ser segura. Além disso, o investimento em um projeto de instalações elétrica é bem menor do que os custos com a manutenção de equipamentos e da rede após um acidente elétrico.

Nós da INOVATECH nos preocupamos em oferecer esse serviço com bom funcionamento, segurança e conforto, de acordo com as normas de segurança da NBR5410. Se ainda estiver com alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, fale com a gente e faça um orçamento gratuito!

Sustentabilidade e Economia: Grandes Amigas Inseparáveis

No atual cenário, tornou-se comum vermos essas duas palavras juntas em uma frase, e nesse texto não será diferente. Se você acompanha as notícias do dia a dia, possivelmente já deve ter se deparado com algo envolvendo crises hídricas ou alguma manchete anunciando um aumento no valor da conta de luz e, sinto muito lhe dizer, mas essa é uma realidade cada vez mais presente. Por conta disso, muitas pessoas estão se preocupando mais com essas questões, resultando no tema do texto desta semana: Instalações sustentáveis.

A possibilidade de criar um ambiente onde o desperdício de água e energia é reduzido exponencialmente, acaba se tornando uma ideia agradável tanto para os moradores quanto para os possíveis investidores do imóvel, uma vez que essa iniciativa ajuda na valorização do mesmo. Neste texto, iremos mostrar exemplos que podem parecer simples em tese, mas o resultado é efetivo e tem um impacto extremamente positivo para o meio ambiente.

INSTALAÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA O USO DA ÁGUA

Apesar de não ser um tema diretamente ligado com a carta de serviços da INOVATECH, não podemos deixar de comentar sobre o assunto, pois a cada dia se mostra mais necessário saber usar da melhor maneira nossos recursos hídricos.

  • Água da chuva:

A chuva é um fator importante para o mundo, isso é inquestionável, afinal de contas a chuva é fonte de água e esta é indispensável para a vida. Mas como posso utiliza-la ao meu favor? Simples, usa-se o Sistema de Captação, no qual funciona com calhas que coletam a água que, por meio de tubulações é armazenada em um reservatório. Em seguida é filtrada pois pode ser acompanhada de objetos.

  • Poço Artesiano:

Esta é uma estratégia já utilizada há anos, consiste em um grande buraco feito no solo que capta a água ao atingir o lençol aquífero, tudo isso é realizado sem a necessidade de aparelhos, apenas usando a pressão feita pela corrente d’água.

Vale ressaltar que ambas as estratégias para a reutilização da água são indicadas para fins não potáveis, uma vez que não há uma verdadeira filtragem da água utilizada.

INSTALAÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA O USO DA ENERGIA ELÉTRICA

Agora entrando no assunto que dominamos, vamos comentar sobre alguns exemplos de como você pode usar sua energia elétrica de maneira sustentável. Muitos já pensam na energia solar e as placas fotovoltaicas, mas antes de falarmos sobre essas grandes instalações, vamos conhecer algumas maneiras mais simples e menos conhecidas, o que acha?

  • Fios elétricos sustentáveis:

Como sabemos, é necessário que os fios sejam envoltos em um material isolante, porém muitos dos materiais disponíveis têm um período de decomposição alto, beirando os 200 anos. Dito isso, foi criado um fio elétrico revestido de “polietileno verde”, sendo este um material biodegradável proveniente da cana-de-açúcar. Além de ter um impacto reduzido no meio ambiente, especialistas comprovaram que ele é 20% mais resistente do que os revestimentos utilizados hoje.

  • Placas solares dedicadas a chuveiros:

Se você acompanha o blog, deve ter visto que as placas fotovoltaicas é a melhor opção para diminuir o consumo da energia, porém as vezes é necessário um alto investimento. Tendo em vista que grande parte do consumo elétrico em casas se origina do chuveiro, foram projetadas placas dedicadas para seu uso. Essa instalação acaba se tornando mais viável e mais barata, resultando também em uma grande economia de energia. Devido ao crescente uso da energia solar as pessoas já estão começando a comprar chuveiros híbridos, no qual caso a energia absorvida na placa seja insuficiente, aciona-se a energia elétrica.

  • Lâmpadas solares:

São lâmpadas que recebem e armazenam a energia solar, sendo acionadas automaticamente à noite. Este tipo de equipamento não possui nenhum fio, sendo assim, é impossível de ser conectado à energia elétrica, evitando qualquer tipo de desvio de corrente.

Agora sim, podemos falar das grandes instalações sustentáveis voltadas a energia solar. Como citamos durante o texto, as placas fotovoltaicas é uma das formas de instalação sustentáveis mais conhecidas, porém sua tecnologia ainda não está ao alcance de todos, pois sua instalação tem um custo mais elevado. O retorno de um sistema fotovoltaico é de longo prazo, sendo possível que todo o excesso de energia volte para a rede, gerando descontos na conta mensal.

Não entraremos em todos os detalhes aqui, pois no nosso blog é possível encontrar um texto repleto de informações sobre esse tipo de instalação. Vimos que existem diversas maneiras de ter um ambiente sustentável e eficiente, reduzindo seu gasto com água e energia elétrica, ao mesmo tempo em que ajuda o meio ambiente. Além disso, podemos observar que a maneira mais conhecida de obter uma instalação sustentável é através da captação de energia solar por placas fotovoltaicas. Felizmente, ao se tratar desse assunto, a INOVATECH é especialista, quer saber mais sobre um painel fotovoltaico? Já pensou em instalar um, mas não tem ideia de quanto irá gastar? Faça já um orçamento gratuito conosco, temos uma equipe preparada para ajudá-lo!

Energia Infinita: uma realidade possível?

Infelizmente temos que dizer que não é possível, mas calma, iremos explicar o porquê disso. Nos dias atuais, com a inovação da tecnologia, podemos observar um crescente uso da energia elétrica e devido a isso, muitos tentam buscar alternativas para economizar. Algumas ideias acabam dando certo, como painéis fotovoltaicos. Porém, outras ideias acabam não tendo esse mesmo sucesso e é aí que entra o gerador de energia infinita. Se pararmos para pensar, é algo que iria inovar o mundo, imagine poder gerar sua energia infinitamente, reduzindo exponencialmente seu gasto de energia sem problemas, sem preocupações, isso seria maravilhoso, não? Mas, deixando a ficção de lado e levando em conta o ponto de vista físico, esse gerador não se mostra nada viável.

Uma história movida por tentativas e erros

No decorrer da história, podemos observar que alguns grandes cientistas demonstraram interesse pelo assunto envolvendo moto contínuo, como Bhaskara (conhecido pela fórmula que tanto amamos), o estudioso esboçou uma roda com recipientes na ponta, sendo estes preenchidos de mercúrio. A ideia era que o liquido se deslocasse permitindo a continuidade do movimento, porém ele não obteve sucesso. Seguindo o mesmo princípio, o francês Villard de Honnecourt tentou a proeza, alterando o modelo original, novamente o êxito foi inexistente. Mas isso não impediu do grande Leonardo Da Vinci esboçar seus próprios modelos, que anos mais tarde seriam testados e novamente descartados, comprovando que nem mesmo sua genialidade tornou possível a construção de um moto contínuo.

A física por trás do gerador de energia infinita

Você deve estar se perguntando: Por que todos eles não obtiveram sucesso nesses experimentos? Encontraremos a respostas dentro da física, mais precisamente dentro do campo da termodinâmica. Segundo a primeira lei da termodinâmica, energia não pode ser criada, apenas transformada, ou seja, não podemos criar uma energia do nada, ela precisa ser transformada de algum lugar. Além disso, podemos complementar com a segunda lei da termodinâmica, que cita que certa quantidade de energia pode ser transformada 100% em calor, porém o contrário é impossível, pois sempre haverá perda. Em suma, um gerador desse tipo seria inviável, pois enquanto o aparelho funciona, ele estará perdendo energia na forma de calor, nem mesmo nos mecanismos mais eficientes alcançam um aproveitamento de 100%.

Portanto, podemos afirmar que esse tipo de tecnologia ainda não é possível, mas provavelmente no futuro as respostas para esse enigma serão encontradas, pois existem muitos cientistas estudando o assunto e com a crescente evolução da tecnologia, novas portas são abertas todo dia para a humanidade. Talvez você tenha ficado triste com a notícia, pois está preocupado com seu consumo de energia e buscar alternativas para economizar. Mas não se desespere! Na INOVATECH fazemos serviço de Eficiência energética, no qual analisamos seu sistema elétrico e o ajudamos a encontrar medidas para otimizar seu custo de energia.

O que é Logística?

Com o desenvolvimento do capitalismo mundial, sobretudo a partir da Revolução Industrial, as empresas começaram a se perguntar: Como produzir em um tempo menor? Como fazer entregas mais rápidas? Como suprir adequadamente as necessidades dos meus clientes? Para sanar esses problemas, as grandes empresas acabaram por criar uma metodologia conhecida atualmente como logística.

Logística é o conjunto de planejamento, operações e controle do fluxo de materiais, mercadorias, serviços e informações das empresas, integrando e racionalizando as funções sistêmicas desde a produção até a entrega, assegurando vantagens competitivas na cadeia de abastecimento e a consequente satisfação dos clientes.

A logística tornou-se cada vez mais importante para as empresas num mercado competitivo. Isto ocorreu pois a quantidade de mercadorias produzidas e consumidas aumentou muito assim como o comércio mundial. Nos dias de hoje, com a globalização da economia e com os grandes avanços em todos os setores industriais e empresariais, os conhecimentos de logística são de fundamental importância para as empresas.

Há três elementos essenciais para uma boa logística:

  • Investimento em comunicação eficiente para a sua equipe: quanto melhor a comunicação entre os membros da sua empresa, melhores são as chances de melhoria de desempenho e de fluidez da operação. Antes de implementar algum processo, consulte seus funcionários para verificar qual seria melhor forma de realizar determinado processo.

  • Um plano B: problemas sempre podem acontecer de forma inesperada, então certifique-se de ter alternativas e garantir os bons resultados para que esses entraves não prejudiquem no rendimento total de sua empresa.

  • Controle do processo: é preciso que você esteja bem inteirado de tudo. Meça resultados, entenda possíveis problemas e faça registro de seus parâmetros para acompanhá-los em seu cotidiano. Procure verificar os erros mais comuns de sua empresa, buscando soluções para otimizar o processo produtivo.

Quando todos os produtos se tornam iguais, a empresa mais competitiva será aquela que conseguir ser mais eficiente e eficaz, se antecipando a prováveis problemas que possa vir a enfrentar, adaptando-se ao mercado e gerenciando de forma cada vez mais eficientes os processos dos trabalhos e utilização do maquinário para que assim eles sejam mais produtivos e duradouros.

Atualmente, apesar da logística ser aplicada em várias empresas, muitas delas deixam de dispor desse tipo de planejamento para recorrer a métodos menos efetivos por acreditarem que esse processo não trará nenhum benefício a empresa devido ao tempo que é necessário para ser realizado. Porém, ao aplicar manutenções frequentes nos maquinários, analisar a eficiência energética de sua empresa e se adequar as normas reguladoras, as empresas tendem a somente a ganhar por possuírem uma base constante para realizar todos os seus processos aumentando assim sua eficiência total.

Então, junte a sua equipe e comece agora mesmo a planejar a logística de sua empresa. E é sempre bom lembrar que o planejamento de manutenção preventiva, a consultoria em eficiência energética, regulação das normas regulamentadoras e outros serviços devem ser feitas somente por profissionais qualificados. A INOVATECH conta com uma equipe especializada no assunto, clique aqui e fique por dentro dos nossos serviços e faça um orçamento gratuito.

Nikola Tesla, o pai da Corrente Alternada

Nikola Tesla foi um cientista, engenheiro eletricista e inventor austro-húngaro. Seus inventos contribuíram para o avanço da tecnologia e seus estudos revolucionaram áreas como da ciência da computação, da física teórica e nuclear. Atualmente, ele é considerado um dos maiores gênios da humanidade e um dos mais importantes visionários desse tempo, ao lado de Albert Einstein e Isaac Newton.

Nikola Tesla nasceu no dia 10 de julho de 1856 no vilarejo de Smiljan, região que na época pertencia ao Império Austro-Húngaro e atualmente faz parte do território da Croácia. Segundo a lenda, Tesla nasceu durante uma tempestade de raios. Seu pai desde cedo focou em educar o menino para desenvolver memória e raciocínio lógico e sua mãe era descendente de uma família de inventores. Acredita-se que ele tinha memória fotográfica e podia decorar livros inteiros, dormia apenas 2 horas por dia e tinha um grande fascínio pelos numerais 3, 6 e 9. Tesla também tinha uma condição que fazia com que enxergasse clarões de luz e alucinações que lhe traziam inspiração e ideias. Além disso era capaz de enxergar, em sua mente, suas invenções completamente prontas e funcionando antes mesmo de começar a esboçá-las no papel. Tesla falava 8 idiomas com fluência: sérvio, checo, latim, italiano, alemão, húngaro, francês e inglês.

Em 1873 Ingressou no Instituto Politécnico de Graz, na Áustria, com o intuito de se graduar em Engenharia Elétrica. Mais tarde transferiu-se para a Universidade de Praga, mas não chegou a terminar o curso. Foi ali que seu fascínio pela engenharia elétrica foi despertado. Em 1880 entrou para a companhia telefônica de Budapeste, atual Hungria, sendo o eletricista-chefe da empresa e engenheiro do primeiro sistema telefônico do país. Nesta época, desenvolveu um aparelho repetidor ou amplificador de telefone, que pode ser considerado o primeiro alto-falante do mundo.

Nos anos 80 trabalhou na França e depois nos Estados Unidos, onde foi assistente do famoso Thomas Edison. Em 1885, ele disse que poderia reprojetar os ineficientes motores e geradores de Edison, fazendo melhorias de serviço e economia. Foi prometido a Tesla que se ele resolvesse o problema ganharia cerca de 50 mil dólares, mas quando o solucionou e perguntou sobre seu dinheiro, recebeu a seguinte resposta: “Tesla, você não entende o humor americano“. Tesla se demitiu.

Tesla continuou suas pesquisas, e se hoje podemos ter luz elétrica em nossas residências é graças ao modelo de Tesla da corrente alternada, desenvolvida por ele quando fora contratado pela Westinghouse para criar a linha de transmissão e viabilizar o primeiro sistema hidrelétrico do mundo. O seu sistema de corrente alternada recebeu duras críticas de Edison, que dizia que ele era ineficiente e não devia ser levado a sério. O sistema de corrente contínua tinha sido criado por ele e era o padrão adotado nos Estados Unidos e, com a mudança do padrão, Edison perderia muito dinheiro a cada ano. Segundo seu sistema, para a transmissão de energia elétrica precisaríamos de uma usina de energia elétrica a cada quilômetro quadrado. Já o sistema de Tesla usava cabos menores, alcançava maiores tensões e podia transmitir energia elétrica a distâncias muito maiores. Thomas Edison em exibições públicas, eletrocutava gatos e cachorros usando a corrente alternada de Tesla, com objetivo de mostrar como era perigoso sistema de corrente alternada e convencer a opinião pública de que não era segura para se ter em uma casa. Para a nossa sorte, o sistema de Tesla era mais barato e funcional e foi adotado não só nos EUA, como em diversos países, caminhando para ser o padrão global.

Em 1894, Nikola Tesla recebeu o título Honoris Causa pela Universidade de Columbia, e a medalha Elliot Cresson, pelo Instituto Franklin. Em 1912, recusou-se a dividir o Prêmio Nobel de Física com Edison, e o Prêmio acabou sendo dado a outro pesquisador. Em 1934, a cidade da Filadélfia concedeu-lhe a medalha John Scott pelo seu sistema de energia polifásico. Nikola era membro honorário da Associação Nacional de Luz Elétrica e membro da Associação Americana para o Avanço da Ciência.

Ao todo, Nikola Tesla registrou cerca de 40 patentes nos Estados Unidos e mais de 700 no mundo todo. Suas invenções deixaram importantes contribuições para o desenvolvimento das tecnologias mais importantes dos últimos séculos, como da transmissão via rádio, da robótica, do controle remoto, do radar, da física teórica e nuclear e da ciência computacional.

Missão Apollo 11

No dia 16 de julho de 2018 completou-se 49 anos desde a decolagem do foguete da missão Apollo 11 que carregava três tripulantes americanos, sendo eles “Neil Armstrong, Dr Edwin Aldrin e Michael Collins”, na missão que resultaria nos primeiros passos da humanidade em nosso satélite natural.

A missão “Apollo 11” fazia parte de um programa espacial da NASA chamado “Apollo”. Este que passou por diversas missões e testes até atingir o sucesso na décima-primeira tentativa. O programa foi criado em 1961, período que correspondia ao auge da Guerra Fria e da corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética. As primeiras missões do programa, correspondentes a “Apollo 1” até a “Apollo 6”, foram realizadas em foguetes sem qualquer tipo de tripulação em seu interior. Somente a partir da “Apollo 7” que foram iniciados os vôos com tripulação humana.

Curiosamente, um dos maiores desastres do projeto Apollo não foi durante o vôo de alguma espaçonave, mas sim durante uma sessão de testes do foguete da “Apollo 1”, cujo módulo espacial sofreu um incêndio matando três astronautas que estavam na cabine verificando os equipamentos da espaçonave. Até hoje não se sabe o exato motivo do incêndio no local, mas perícia e investigações apontaram como causa provável a presença de material inflamável perto do local em que era realizado os testes da Apollo 1.

Após diversas missões, a Apollo 11 decolou em 16 de julho de 1969 com a intenção de realizar o primeiro pouso lunar tripulado. Após quatro dias de viagem a tripulação americana pousaram na Lua, especificamente no “Mar da Tranquilidade”, no dia 20 de julho de 1969. Foi quando Neil Armstrong se tornaria o primeiro homem a pisar em solo lunar e diria a frase icônica “É um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade”. Após realizado os processos de pouso, os três astronautas exploraram o solo lunar, além de coletarem rochas para estudos e de fixarem uma bandeira estadunidense. Curiosamente, os tripulantes também deixaram uma placa na Lua, que ao princípio tinha o propósito de se comunicar com qualquer vida extraterrestre. A placa dizia “Aqui, os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua em julho de 1969 DC. Viemos em paz, em nome de toda humanidade”.

No dia 24 de julho de 1969 os tripulantes da Apollo 11 retornaram ao planeta Terra em segurança. Ao todo, a missão durou oito dias e três horas, sendo que os astronautas passaram a maior parte do tempo em viagem entre o planeta e o satélite, já que a tripulação esteve somente vinte e uma horas em superfície lunar. Outra curiosidade é que o pouso da Apollo 11 na Lua ocorreu no aniversário de Santos Dumont, considerado o inventor do avião, assunto este que você pode ver aqui.