Categorias
Engenharia Mecânica

A chegada do inverno e suas vantagens para a geração de energia solar

A chegada do inverno e suas vantagens para a geração de energia solar

Paineis com neve

Está chegando a estação mais amada (ou odiada) por todos: O inverno! E com ela chegam diversas vantagens para aqueles que instalaram um sistema fotovoltaico, as quais serão citadas ao decorrer do texto, porém, antes é preciso “derrubar” alguns mitos e falácias sobre este assunto.

Como todos sabemos, a energia fotovoltaica funciona com base no calor gerado pelo sol, certo…? Errado! Diferente do que muitos dizem ou pensam, o calor, na verdade, não tem relação nenhuma com a energia gerada, ele pode até mesmo prejudicá-la se estiver em demasia. A grande estrela da vez é a luz solar, pois é ela a responsável por gerar energia.

Logo, a chegada do inverno é uma boa notícia para aqueles que possuem um sistema desse tipo, ainda mais em um país tropical como o Brasil, onde, convenhamos, não temos um inverno tão rigoroso, pois há a incidência de luz e os módulos ficam à uma temperatura muito mais amena, algo que aumenta de uma maneira considerável o rendimento das placas.

Ainda assim, alguns podem argumentar que a “estação resulta em dias mais curtos e isso já elimina a vantagem de estar mais frio, pois terá menor incidência de luz solar”. Porém, meus caros, isso é plenamente contornável, pois esses fatores são levados em conta, analisados precisamente e compensados pela nossa capacitadíssima equipe da INOVATECH na hora do dimensionamento do sistema, então não precisa se preocupar.

Diante disso, está claro as vantagens do inverno para a geração de energia solar! E, além disso, esta seria uma ótima hora para você, leitor, entrar em contato com a INOVATECH e pedir já o seu projeto! Nós fazemos todos os cálculos e dimensionamento do sistema com todo o cuidado e dedicação para você não precisar se preocupar e aproveitar todos os benefícios desta nova aquisição. Está esperando o que?

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Engenharia Mecânica

A evolução do processo produtivo na história

A evolução do processo produtivo na história

A evolução do processo produtivo

Você já pensou como a geração de bens mundial aumentou nas últimas décadas? Se formos comparar com os últimos séculos esta discrepância fica ainda mais evidente. A escala de produção de bens de consumo e de capital no nosso tempo era algo inimaginável há poucos séculos. Essa surpreendente mudança só foi possível através de melhorias contínuas e sucessivas no processo de produção.

Dentro deste contexto, houve uma busca em padronizar produtos para torná-los mais eficientes e baratos de serem fabricados, sendo a elaboração do desenho técnico a principal maneira de realizar isso, pois contém todos os detalhes e medidas da manufatura.

Os principais marcos da evolução do processo evolutivo foram:

Taylorismo

Foi desenvolvido pelo americano Frederick Taylor no início do século XIX e foi a primeira tentativa de racionalização do processo produtivo, buscando o melhor aproveitamento possível da mão-de-obra.

Fordismo

Foi desenvolvido pelo americano Henry Ford no início do século XX. As características que o diferenciaram do pensamento anterior foram: a esteira na linha de montagem, a mão-de-obra especializada e o controle de qualidade no final do processo. Neste momento começa o processo de padronização dos produtos.

Toyotismo

Foi desenvolvido pelos japoneses Taiichi Ohno e Eiji Toyoda e implementado nas fábricas da Toyota no final da década de 1970. A principal característica que o diferencia do seu antecessor foi a ideia e just-in-time, evitando a necessidade de grandes estoques, além da maior utilização de tecnologia, trabalho qualificado e uma flexibilização do processo produtivo.

Esses foram os principais pensamentos que impulsionaram a evolução do processo produtivo do século XIX e XX. É esperado no século XXI a implementação das indústrias 4.0, que prometem revolucionar o setor industrial e ter grandes impactos na própria sociedade.

Entretanto, para que essas novas tecnologias possam ser implementadas deve ser feito um esquema detalhado da mercadoria que será produzida, tornando o desenho técnico ainda mais essencial para qualquer empresa que queira continuar competitiva. E se você quer se preparar para os tempos de hoje e que ainda virão, contate a INOVATECH e faremos um desenho detalhado de seu produto que aumentará muito a eficiência de sua produção e poupará futuros problemas.

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Engenharia Elétrica Projetos Elétricos

Projeto elétrico: Uma dor de cabeça que você não precisa passar

Projeto Elétrico: Uma dor de cabeça que você não precisa passar

Projeto elétrico: Uma dor de cabeça que você não precisa passar

Durante a elaboração do desenho que representará a rede elétrica de um estabelecimento, muitos problemas devem ser previstos e resolvidos antes mesmo da execução do esquema. Por conta disso, profissionais competentes pensam nessas possibilidades para você ficar tranquilo em realizar sua obra.

Os problemas mais corriqueiros que encontramos na elaboração de instalações elétricas são:

Sobrecarga

Ocorre quando ultrapassa a corrente elétrica máxima que os fios foram projetados. Um bom projetista deve ter conhecimento quais tomadas estarão conectadas a dispositivos mais potentes e dimensionar a fiação tendo em vista isto, além de deixar um bom percentual de segurança. O item usado para certificar a segurança do circuito é o disjuntor.

Curto-circuito

Ocorre o superaquecimento de alguns fios, afetando seu isolamento. É causado devido a uma má projeção que acarreta uma união de fases. Este problema pode-se tornar a causa de muitos outros.

Sobretensão

Ocorre uma tensão no circuito maior do que foi projetada. Pode ser provocado por descarga elétrica (os famosos raios), curto-circuito, complicações com disjuntores e muitas outras razões. Um bom motivo para aterrar seu imóvel.

Fuga de Corrente

Durante a execução do projeto pode ser que os fios não foram devidamente isolados, gerando uma fuga de corrente, se o circuito não for aterrado, essa corrente ficará distribuída na superfície de utensílios elétricos, podendo gerar pequenas descargas. Lembra-se dos “choquinhos” que alguns chuveiros dão? Muitas vezes está relacionado justamente a isso. É neste e em muitos outros motivos que está à importância do aterramento, também designado pela sigla SPDA. O artefato de segurança usado neste caso é o DR (Dispositivo Diferencial Residual).

Para não ter que lidar com essas dores de cabeças e ainda outras em sua obra, contate-nos. A INOVATECH tem profissionais qualificados para fazer a elaboração do projeto elétrico com a maior segurança e competência possível.

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Desenvolvimento de Produto Engenharia Mecânica Inovação

Porque Você Deveria Fazer um Projeto de Dimensionamento Mecânico

Porque Você Deveria Fazer um Projeto de Dimensionamento Mecânico

Design sem nome

Se você possui uma ideia de um novo produto, otimizar uma etapa do seu processo de produção ou adaptar uma máquina para trabalhar de acordo com suas novas necessidades, o projeto de dimensionamento mecânico é essencial para você.

Com um dimensionamento mecânico adequado, sua ideia pode sair do papel e funcionar como esperado. Para isso ocorrer, alguns processos como cálculos estruturais e simulações são realizados, garantindo assim que o equipamento desejado cumpra todos os objetivos pré-determinados.

Através de um projeto de dimensionamento mecânico é possível gerar economia já no processo de simulações, sendo possível encontrar pequenos erros que só seriam notados com a máquina pronta, reduzindo assim os custos de produção.

Apesar de demandar de um investimento, um projeto de dimensionamento traz retornos futuros. É possível observar isso na otimização de uma máquina antiga ou elaboração de uma máquina nova, nos dois casos você poderá aumentar seu nível de produção, já que serão projetadas para serem mais eficientes que as antigas. Outro fator importante é que devido ao longo processo de testes e elaboração, é possível detectar falhas e pontos de melhoria antes da execução do produto, aumentando assim sua durabilidade, sua vida útil e diminuindo gastos com manutenção.

Caso você ainda tenha muitos processos manuais em sua linha de produção, uma máquina capaz de automatizar poderia ser de grande ajuda. Além de diminuir os custos com a mão-de-obra humana, seu processo de produção ficaria mais rápido e eficiente.

Como vimos, um bom dimensionamento mecânico pode otimizar os processos, aumentar a produtividade e, como consequência, aumentar o lucro de sua empresa. Com a ajuda da INOVATECH, tudo isso é possível! Entre em contato conosco para tornarmos a sua ideia realidade.

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Engenharia Mecânica Normas Regulamentadoras

Deixe sua empresa preparada para um ano de lucro com essas dicas simples.

Empresa preparada para um ano de lucro com essas dicas simples

Deixe sua empresa preparada para um ano de lucro com essas dicas simples.

 Você sabia que reduzindo os riscos de acidentes e desastres no ambiente industrial, os seus funcionários estão protegidos e, consequentemente, mais aptos a desempenharem um trabalho melhor resultando em um ano de lucro para a sua empresa?

 O Ministério do Trabalho estabeleceu uma série de normas regulamentadoras (NRs) de segurança visando uma maior proteção à saúde e à integridade física dos trabalhadores. Entre as mais significativas estão a NR — 10 e a NR — 12.

 A primeira tem como principal propósito resguardar a segurança dos profissionais que trabalham direta ou indiretamente com instalações elétricas. Ela determina diretrizes de controle e prevenção que englobam todo o processo de transformação elétrica, importante para que choques, queimaduras externas e internas, além de prevenir explosões e incêndios.

 Já o objetivo máximo da NR – 12 é assegurar critérios de proteção de máquinas, equipamentos e áreas operacionais com tráfego de pessoas. Prioritariamente, ela exige a adoção de medidas de: proteção coletiva, organização do trabalho e proteção individual. Na prática, os princípios da norma são responsáveis por proteger os operadores de riscos que possam ter consequências graves como esmagamento, amputação, queimaduras ou intoxicação.

 Colocar sua empresa, indústria ou fábrica regulamentada perante essas normas, além de oferecer um local mais seguro para os trabalhadores, com proteção para com a saúde e integridade deles, diminuí muito a probabilidade de uma tragédia ocorrer nesse ambiente.

 Torcer para que acidentes não aconteçam na empresa não é prevenção.

 Para deixar sua empresa regulamentada com a justiça, garantir a proteção de seus funcionários e evitar prejuízos, nós oferecemos o serviço de adequação às Normas Regulamentadoras e estamos dispostos a trabalhar com você.

Entre agora em contato! 

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Energia Renovável Engenharia Elétrica Projetos Elétricos

Como começar o ano já economizando na conta de luz

Como começar o ano economizando na conta de luz

Como começar o ano já economizando na conta de luz

 O Brasil passa pela maior seca dos últimos 90 anos e como consequência o brasileiro está sentindo no bolso o aumento da conta de luz. Essa seca prejudica a geração de energia por usinas hidrelétricas, que representam 62,3% da energia gerada no Brasil, dessa maneira é comum que o país recorra a usinas termelétricas, aumentando assim os custos da energia elétrica. Entretanto, o valor pago pelos consumidores não é o suficiente para cobrir os gastos mais altos, então mesmo com o aumento de chuvas em 2022, continuaremos pagando uma conta mais alta devido a secas passadas.

 Existem várias maneiras de se economizar na conta de luz, que vão desde decoração da sua casa ao apostar em luz natural, iluminação adequada como a troca das lâmpadas incandescentes pelas lâmpadas de LED, adoção de algumas ações cotidianas como a não utilização de ferros elétrico, máquina de lavar e chuveiro elétrico em horários de pico, mas a medida de maior impacto e vem ganhando força a um bom tempo é a utilização de painéis solares.

A energia produzida nas placas fotovoltaicas entra na rede elétrica da sua distribuidora de energia e retorna créditos proporcionais ao que foi produzido. Esses créditos são convertidos em desconto na conta de luz, fazendo-a diminuir de 50% até 95%.

Apesar do investimento em painéis solares parecer alto, o dinheiro investido acaba retornando para você. Com a economia de energia gerada pelos painéis fotovoltaicos, em até 5 anos o valor gasto com a instalação das placas é retornado para você. Além disso, se considerarmos que a garantia de painéis solares é de em média 25 anos, no pior dos casos você terá 20 anos apenas de lucro com os painéis.

 Ademais, existe a opção de usar esses créditos gerados em um imóvel para abater a conta de luz de outros imóveis. Por exemplo, suponha-se que uma pessoa tenha uma casa e um estabelecimento comercial, ela poderia instalar placas solares em sua casa para gerar energia suficiente para abater grande parte das contas de luz dos dois imóveis.

 A conta de luz está cada vez mais alta e se você quer uma solução decisiva, de longo prazo e que se paga apenas com 20% da vida útil, contate-nos. A INOVATECH fará o melhor projeto para sua situação. Chega de pagar um absurdo na conta de luz!

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Desenvolvimento de Produto Inovação Sem categoria

Como o desenvolvimento de uma máquina revolucionou a indústria de processamento de plásticos

Como o desenvolvimento de uma máquina revolucionou a indústria de processamento de plásticos

dimensionamento mecânico

Uma máquina é um conjunto de peças com funções específicas que auxilia ou substitui o trabalho humano, ou seja, máquinas são criadas especialmente para nos ajudar a trabalhar e para melhorar a qualidade do produto final, assim como a qualidade de vida de quem trabalha com elas. Muitas vezes ao longo da história, processos de produção foram completamente reinventados e muitos outros foram criados do zero por conta de máquinas que eram inventadas para suprir a necessidade de ter sempre os processos mais bem otimizados.

Foi durante um desses momentos de necessidade que surgiu a máquina para injeção de plástico em moldes. Mas qual era essa necessidade? Em meados do século XIX, havia uma grande demanda de pequenos produtos como bolas de bilhar, botões, cabos de facas, teclas de piano, dentes falsos, hastes de leques e muitos outros. Estes itens eram originalmente feitos de marfim, e com o elefante africano correndo sério risco de extinção, era necessário um substituto. Este veio na forma dos primeiros plásticos sintéticos, e, com a origem desse novo material, tornou-se necessária uma nova forma de o trabalhar e moldar para fabricar os diversos produtos para o qual seria usado. Algumas empresas seguiram trabalhando o plástico da mesma forma que trabalhavam o marfim, esculpindo os objetos a partir de um bloco maior. O processo de esculpir esses pequenos itens a partir de um bloco de plástico não era nem um pouco eficiente pois, além de trabalhoso e demorado, exigia mão de obra habilidosa e acabava desperdiçando muito material.

Vendo que o processo de produção atual podia ser otimizado, os irmãos Hyatt fizeram exatamente isso e desenvolveram uma solução através da primeira máquina de injeção de plástico (sim, uma máquina de injeção de plástico no século XIX!). Os irmãos Hyatt se inspiraram em uma máquina já existente, a máquina de fundição sob pressão, e adaptaram o modelo para que ela trabalhasse com plásticos. A máquina criada pelos irmãos consistia de um cilindro onde o plástico moído era colocado e, então, derretido. O plástico derretido era então injetado, usando um pistão, para fora do cilindro e para dentro de um molde, através de uma pequena abertura, onde o material podia esfriar e endurecer no formato desejado. Essa forma de se trabalhar e moldar plásticos era tão eficiente que os irmãos Hyatt abriram sua própria empresa, a Albany Dental Plate Company, em volta desta máquina, que depois seria uma das primeiras empresas a partir do zero e alcançar o sucesso comercial produzindo objetos de plástico.

Apesar de terem alcançado o sucesso, os irmãos Hyatt nunca teriam chegado perto se não conhecessem o processo de dimensionamento e desenvolvimento de máquinas. Esse processo é usado até hoje para criar soluções não só nas áreas da engenharia. De que vale uma ideia que pode revolucionar um processo na indústria se ela não é colocada em prática? Por isso a INOVATECH trouxe essa história dos irmãos Hyatt, para te mostrar as etapas do desenvolvimento de uma máquina com exemplos concretos baseados em uma máquina real.

Para o dimensionamento de uma nova máquina deve ser realizado um estudo minucioso para que as necessidades da produção sejam atendidas de forma a trazer o melhor resultado para esse processo. Através de análises, cálculos e testes, a equipe realiza o projeto alinhando as expectativas do cliente para que esteja dentro das normas estabelecidas pela regulamentação, garantindo a segurança de quem irá manusear a máquina.

 

Viabilidade

O início do desenvolvimento de uma máquina se dá através de uma ideia. A partir dela, é realizado um estudo de viabilidade por meio de pesquisas e levantamento de custos, a fim de analisar a possibilidade de executá-la.

Durante esta primeira etapa, os irmãos Hyatt pesquisaram e estudaram máquinas que poderiam ser parecidas com a que eles desejavam fazer, como a máquina de fundição sob pressão citada antes, também aproveitaram o conhecimento que tinham sobre plásticos para escolher com quais tipos eles gostariam de trabalhar e se realmente esses plásticos poderiam ser moldados com o processo que eles tinham em mente. Fazer todos estes estudos pode acabar mostrando alguns problemas que existem com a ideia antes mesmo de ela ser colocada em prática, assim fica mais fácil fazer ajustes e adaptar o projeto para que ele seja melhor e mais viável.

 

Esboços e cálculos

Caso seja viável, o próximo passo é o esboço do projeto, onde a ideia é colocada no papel. Hoje em dia são utilizados softwares que auxiliam o projetista, trazendo mais agilidade e cálculos precisos que possibilitam dimensionar a máquina. Além disso, oferecem a modelagem tridimensional, maior detalhamento e simulações, o que permite ao cliente visualizar o projeto de forma mais clara.

Entretanto, durante a maior parte da história os engenheiros e inventores esboçavam seus projetos a mão, com tinta no papel, e foi exatamente assim que os irmãos Hyatt desenharam os esboços da sua máquina no século XIX. Foi através de dezenas, ou mesmo centenas, de folhas de papel marcadas de tinta com os primeiros esboços que a máquina de injeção em molde tomou forma pela primeira vez, e também seria por estes desenhos que ela seria mudada e aperfeiçoada para que todos os mecanismos se encaixassem e funcionassem perfeitamente.

Os cálculos foram essenciais para a criação da máquina de injeção em molde, pois, além de trabalhar com temperaturas elevadas para derreter o plástico, ela também precisava suportar a alta pressão com que este plástico era injetado no molde. Só depois de os irmãos Hyatt realizarem todos os cálculos e terem certeza de que a estrutura da máquina podia trabalhar com a alta temperatura e com a alta pressão por um bom tempo foi que eles começaram a desenvolver o projeto definitivo da injetora.

 

Prototipagem e testes

Finalmente, a hora de dar vida ao projeto! Antes de chegar no produto final, o projeto tem o seu protótipo que passa por testes e adaptações para garantir que cumpra a sua função. Desse modo, a melhor versão pode ser entregue ao cliente.

Para máquina injetora não foi diferente, foram fabricados protótipos, e estes foram usados para fazer testes e garantir que não havia nenhum erro ou ponto de melhoria pendentes.

 

O desenvolvimento de uma nova máquina, além de otimizar processos, pode aumentar a produtividade e consequentemente, o lucro da empresa ou do indivíduo que colocou sua ideia em prática. Porém, para isso é indispensável um bom dimensionamento mecânico do produto e com a INOVATECH, tudo isso é possível! Entre em contato conosco e revolucione a partir da sua ideia, como os irmão Hyatt!

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Engenharia Elétrica Projetos Elétricos Sem categoria

Como deixar sua casa à prova de raios

Como deixar sua casa à prova de raios

imagem raios

Descarga elétrica é um fenômeno da natureza imprevisível e aleatório, tanto em sua intensidade e duração quanto em seus efeitos destruidores. Elas podem ter impactos significativos, tanto para a segurança das pessoas quanto para os bens materiais. Mesmo sendo difícil estabelecer um número confiável devido à falta de informações e relatórios, estima-se que esse fenômeno cause, em média, a morte de 2.000 pessoas por ano, de acordo com um relatório da National Geographic.

Graças às tempestades inesperadas que assolaram o Paraná recentemente, muitas residências tiveram seus equipamentos eletrônicos comprometidos pelas descargas violentas de raios. Se devidos cuidados não são tomados contra essas descargas, os raios podem até mesmo iniciar um incêndio nas residências e pôr em perigo a vida de seus entes queridos. O que muitas pessoas não sabem, no entanto,  é que esses riscos podem ser facilmente prevenidos com um simples passo: a instalação de para-raios em sua residência.

Por mais simples que seja, os para-raios se provaram bastante efetivos na proteção de edifícios, casas, instalações industriais e antenas ao longo dos anos. Se instalado corretamente por uma equipe muito bem capacitada, os riscos de danos aos equipamentos eletrônicos ou acidentes indiretamente ocasionados pelos raios são drasticamente reduzidos, oferecendo então segurança não só para seus bens mas também para sua família.

Como funciona?

Diferente do que seu nome pode inferir, o para-raios não impede a ocorrência de raios; pelo contrário, ele atrai as descargas elétricas para si. Como então esse aparelho poderia ajudar na proteção de uma residência contra raios? Pode parecer estranho, mas essa característica do para-raios é exatamente o que auxilia na prevenção de danos em sua casa consequentes dos raios. 

Para-raios – Wikipédia, a enciclopédia livre

Um Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) tem por objetivo evitar a incidência direta de raios na estrutura a ser protegida, através da constituição de pontos preferenciais de incidência para as descargas que eventualmente atingiriam a estrutura na ausência do sistema. Esses sistemas servem para proteção de prédio, antenas, instalações industriais, tanques, tubulações e pessoas contra as descargas elétricas e seus efeitos. Os SPDA são compostos por dispositivos instalados nos pontos mais altos das instalações e estruturas, elas proporcionam um caminho para terra oferecendo a menor resistência elétrica possível, para desta forma, oferecer um caminho para a corrente criada pela descarga atmosférica fluir em direção a terra, sem danificar equipamentos ou estruturas, além de proteger pessoas dentro da instalação.

Basicamente, o SPDA dissipa para a terra essa perigosa corrente elétrica, direcionando a corrente por um caminho mais seguro possível, desta maneira, minimizando ou anulando seus impactos.

Qual o melhor método de instalação de para-raios para você?

 Embora possuam a mesma função, existem diversos métodos para a instalação de para-raios atualmente, cada um com suas particularidades. A seguir, estaremos falando um pouco sobre dois métodos comumente utilizados:

  •  Método de Franklin:
Na maioria das vezes, o Método de Franklin é o tipo de instalação de para-raios que mais comumente encontramos no nosso dia a dia. Nele, o para-raios se encontra no topo do edifício e, teoricamente, irá proteger tudo que estiver contido dentro desse volume de um cone abaixo dele, como representado na figura a seguir:
Tipos de Para Raios: Conheça o melhor para sua necessidade - Eletro Jr - Engenharia Elétrica UFBA

O Método de Franklin é recomendado para estruturas não muito altas e não muito extensas horizontalmente, uma vez que a “área de proteção” do para-raios não seria capaz de conter o edifício completamente. 

  • Método de Faraday:
Esse método consiste em cobrir a edificação com cabos metálicos, condutores e aterramento, formando uma “gaiola” que, de acordo com os conceitos apresentados pelo físico Michael Faraday, quando carregada pelas descargas elétricas provenientes das tempestades, apresenta campo eletromagnético nulo em seu interior, conferindo então proteção ao edifício em questão.
Gaiola de Faraday, o que é? Qual a sua aplicação?
Ao contrário do anterior,  o Método de Faraday é recomendado para construções mais extensas horizontalmente, por necessitar de mais de um captor para proteger integralmente o edifício. Caso esteja precisando proteger construções como depósitos ou galpões, esse método é o ideal.
 
Esses são alguns dos meios que você pode tornar sua casa à prova de raios. Caso esteja interessado em fazer uma instalação de para-raios em sua residência, saiba mais em nossa página de SPDA (Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas) ou entre em contato conosco para falar com um especialista.o SPDS
3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Desenvolvimento de Produto Sem categoria

Como Paul Brown Ficou Rico Com Sua Tampa de Ketchup

Como Paul Brown Ficou Rico Com Sua Tampa de Ketchup

Como Paul Brown Ficou Rico Com Sua Tampa de Ketchup

Introdução

 

Você pode nunca ter ouvido falar de Paul Brown, mas com certeza já usou a invenção dele enquanto curtia um lanche ou uma pizza. Se você pensa em inovar e criar suas próprias invenções, ou se o seu interesse é apenas ganhar dinheiro com uma criação sua, a história de Paul certamente vai te inspirar.

Alguns inventores fazem coisas grandes como mandar foguetes pro espaço ou desenvolver carros que dirigem sozinhos, mas Paul foi muito mais humilde com sua ideia, além do mais, ele era apenas um homem de meia idade com uma pequena empresa de moldes para plásticos. Apesar de ser um homem simples com uma ideia ainda mais simples, essa lhe rendeu uma pequena fortuna e revolucionou as garrafas de condimentos. Mas, afinal, qual foi essa ideia revolucionária? Foi simplesmente a ideia de virar garrafas de Ketchup de cabeça pra baixo.

 

As Ideias vêm dos Problemas

 

De certo você já usou uma garrafa de ketchup ou mostarda que já estava acabando e ficou alguns minutos batendo no fundo tentando tirar o molho de lá. Ou talvez você guarde as garrafas de cabeça pra baixo na geladeira tentando evitar esse problema, mas quando vai abrir a tampa o molho sai de uma vez e faz aquela bagunça.

Como diz o ditado, “a necessidade é a mãe de todas as invenções”, então, um dia, um cliente chegou na pequena empresa de Paul pedindo para que ele fizesse uma válvula para garrafas de shampoo para que elas pudessem ser guardadas de cabeça para baixo. Essa válvula só poderia se abrir quando alguém apertasse a garrafa e não poderia deixar nenhuma gota de shampoo vazar.

Como você deve saber, proteger sua propriedade intelectual é extremamente importante, e Paul também sabia disso. Então, mesmo antes de começar a trabalhar no seu novo design para a válvula, Paul já buscava maneiras de patentear a sua ideia. Foi aí que ele decidiu pedir ajuda de seu funcionário Tim Socier, que era especialmente habilidoso em modelagem 3D.

 

O Desenho Técnico que Trouxe a Solução

 

O desejo do cliente era, basicamente, que o shampoo não vazasse quando armazenados de cabeça para baixo, então começaram a trabalhar pensando nisso. Brown e Socier trabalharam com silicone líquido e uma prensa de moldagem, e então, começaram a criar os protótipos.

Eles criaram uma válvula de silicone em forma de cúpula com uma abertura que parecia a letra X.

Suas abas parecidas com pétalas se abriam quando a garrafa foi espremida. Assim que a pessoa parou de apertar, as abas se fecharam e a substância dentro da garrafa ficou lá. Essa prática frustrante, continuou por mais de 100 protótipos, fazendo Brown perder um dinheiro considerável.

Com um possível comprador, eles trabalharam durante toda madrugada de uma sexta-feira, na manhã seguinte, depois de tornar a cúpula mais fina em torno das abas, a 112° tentativa produziu um resultado mágico, perfeitamente como esperavam.



Produto Patenteado, Dinheiro Fluindo

 

Algum tempo depois, marcas renomadas começaram a usar o protótipo de Brown. Até a gigantesca NASA usou a válvula para criar copos à prova de vazamentos para serem usados no espaço por seus astronautas.

Mas foi  em 1991, que a vida de Paul Brown mudou completamente. A Heinz queria usar sua invenção para resolver um problema dos amantes de ketchup: sua incapacidade de tirar a quantidade de molho que queriam da garrafa sem ter que esperar. Brown usou o mesmo conceito e hoje, estima-se que 75% do ketchup da Heinz é vendido em garrafas plásticas.

Após quatro anos, Paul vendeu sua empresa, a Liquid Molding Systems, Inc. por 13 milhões de dólares.

Ele conseguiu se livrar da dívida do cartão de crédito, pagar os empréstimos de seus amigos e de sua mãe e comprar uma casa de férias na Flórida.

Se eles não tivessem tentado aquela 112ª vez, poderíamos estar batendo no fundo do frasco de ketchup até os dias de hoje.

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!

Categorias
Desenvolvimento de Produto Sem categoria

Como tranformar suas ideias em dinheiro

Como transformar suas ideias em dinheiro

Design sem nome (1)

Todos os dias milhares de pessoas se encontram tendo diversas ideias ao longo de suas atividades cotidianas, mesmo sem perceber. Pensamentos individuais e, a princípio, sem nenhuma relação uns com os outros, se conectam ao longo de um raciocínio até formar uma ideia genial, daquelas que te fazem pensar “porque ninguém nunca tentou isso antes?”. Esse é o nascimento de uma nova descoberta, processo pelo qual todas as invenções que você tem contato hoje, como o carro, o computador, o celular e muitos outros passaram até serem criados. Até mesmo as mais simples das ideias pode beneficiar uma população inteira além de produzir enormes riquezas quando postas em ação, então por que não transformar suas ideias em dinheiro? Dando forma a suas ideias

Toda grande invenção, antes mesmo de sair dos papéis, deve primeiro ser cuidadosamente analisada e planejada, de modo que você tenha uma boa noção do que sua invenção pode fazer, como você quer que ela se pareça, entre outros. Esse processo ajuda não só a tornar os pensamentos que compõe sua ideia mais concretos, mas também será de grande ajuda quando for a hora de tornar sua ideia em realidade com uma equipe de projetos. Assim, a equipe poderá compreender de forma mais clara o que você tem em mente para sua invenção e fazer um planejamento que possa criar o produto exatamente como você imaginava!

Estudo de viabilidade

Antes de se dar início aos protótipos ou até mesmo o esboço do produto, é necessário estudar a sua viabilidade, ou seja, se é possível criá-lo. Para essa etapa, a equipe de projetos procura entender o que o cliente tem em mente através de uma reunião de alinhamento de ideias. Feito isso, é possível buscar referências e fazer um estudo de mercado e materiais, para ter a certeza de que a ideia é viável. Além disso, nossa equipe realiza inúmeras pesquisas para certificar-se de que o produto segue as normas brasileiras que regem a área específica em que esse está inserido. Assim, reduz-se os riscos de prometer algo que não pode ser concretizado futuramente e já se obtém um orçamento.

Caso inicialmente a ideia não esteja muito dentro da realidade, a equipe de projetos pode auxiliar o cliente, apresentando possíveis alterações para adaptar o projeto ao mercado. Por isso, é importante o acompanhamento unido a uma boa equipe para guiá-lo.

Esboços do produto

O esboço é uma das etapas mais interessantes durante o desenvolvimento, pois durante esse processo é que a sua ideia começa a tomar forma, sendo possível se ter uma prévia do projeto. Para os nossos projetos, utilizamos softwares que possibilitam ao cliente observar a ideia de uma forma mais concreta. Através de desenhos 3D, projetos no AutoCad ou SolidWorks, apresentamos nosso esboço por meio de reuniões para que o cliente fique por dentro de todo processo do seu projeto, de forma a alinhar suas expectativas. Cálculos e finalização do projeto

Muitas pessoas acham que depois do esboço já podemos começar a produção do primeiro protótipo, mas existem muitos cálculos a serem feitos antes de sequer chegarmos à fase de testes. Para que seu produto seja um sucesso, são necessários estudos para averiguar sua funcionalidade, materiais que serão utilizados, resistência, capacidade térmica, entre outros aspectos de grande importância. O Cálculo de Resistência dos Materiais é um dos cálculos realizados justamente para analisar a integridade do seu produto e dos materiais utilizados em sua construção. Por mais impressionante que ele seja, se esse produto não é resistente e pode facilmente quebrar durante seu uso, ele não terá um desempenho bom contra outros do mesmo tipo. É aí que entra a importância do cálculo na criação do seu produto!

Além disso, o esboço inicial do projeto é incorporado às informações adicionais obtidas graças aos cálculos para formar o desenho final do produto. Para garantir total satisfação com o resultado final, esse processo é acompanhado pelo cliente do início ao fim! Assim, qualquer discordância com relação ao desenho pode ser discutida com a equipe de projetos, aonde será analisado possíveis mudanças para melhor satisfazer o gosto do cliente. Por fim, caso desejado, podemos fornecer um manual para melhor compreensão do uso e instalação do produto criado. Testes e protótipo

Com o projeto praticamente concluído e o desenho final em mãos, o que mais podemos fazer? Uma boa prática após criar um produto é testar seu protótipo para averiguar sua funcionalidade ou prevenir futuros problemas. Nesses casos, oferecemos um serviço de acompanhamento para que, na hipótese de algum problema imprevisto relacionado ao projeto aconteça, possamos revisar o projeto e solucionar o imprevisto o mais rápido possível. O motivo de não oferecermos apoio em casos de erro relacionados à fabricação, se deve ao fato da INOVATECH não prestar serviços desse tipo. No entanto, caso haja necessidade da produção de um protótipo, podemos indicar empresas muito bem capacitadas para auxiliar nesse processo. Finalmente, chegou a hora de lucrar! Com o primeiro passo dado: a criação do produto, sendo realizada com excelência, você estará no caminho do sucesso para vender e lucrar muito! Por isso, é essencial contratar uma empresa que ofereça um serviço de qualidade para essa etapa.

Venha tirar sua ideia do papel com a INOVATECH e transforme o seu sonho em realidade!

3-golden-50-ANOS

Copyright © 2019 – Todos os direitos reservados.

A INOVATECH – Empresa Júnior de Engenharia Mecânica e Elétrica é uma empresa sem fins lucrativos, que oferece soluções buscando fomentar o empreendedorismo no Brasil. Todo o valor ganho é revertido em investimentos na formação e capacitação profissional dos nossos membros e alunos da UEM.

CNPJ: 11.729.170/0001-28

Entre em contato!