Categorias
Engenharia Elétrica

Vantagens de terceirizar o Projeto Elétrico

     Nos dias atuais em que os processos enérgicos e dinâmicos se tornaram os principais alvos das empresas, o pensamento que vem à tona quando se fala em construção civil é a economia e a velocidade com que é executado um projeto. A agilidade é algo que se tornou o diferencial de uma empresa para outra, com isso a eficiência se tornou necessária para que ocorram resultados satisfatórios. Uma das maneiras de se atingir esse nível competitivo é utilizando a terceirização, mais especificamente de projetos elétricos. Desta forma, vamos te mostrar as vantagens de terceirizar o projeto elétrico. 

 

Porquê terceirizar

     Terceirização nada mais é que a contratação de uma pessoa ou empresa especialista naquele setor para realizar a atividade desejada em questão. Ou seja, ao invés de utilizar os próprios funcionários, a empresa contrata outra empresa (ou pessoa) para realizar os processos daquela tarefa em questão.
   As vantagens que essa pratica pode oferecer são enormes, quando olhamos para a realidade das construtoras atuantes no Brasil, na parte projetos de instalações elétricas, podemos tirar essas conclusões. Os benefícios que a construtora ganha ao terceirizar o Projeto Elétrico são listados a seguir:

 

A construtora deve focar onde é especializada

     Em vez de ter o foco dividido entre sua atividade principal e as atividades secundárias, como o projeto elétrico, a construtora pode focar seus esforços e funcionários somente nos processos que ela melhor executa.

 

 

Tempo é dinheiro

     Como dito no tópico acima, quando você se especializa em um processo, além de conseguir fazer com maior qualidade é feito em menor tempo, assim sua equipe pode pegar um volume maior de projetos para serem executados.

    Por outro lado, se sua equipe não detém o mesmo conhecimento e experiência de empresas especializadas em projeto elétrico, irão ocorrer alguns atrasos e imprevistos nos processos e na entrega final do projeto, ou simplesmente não irão conseguir executar a instalação.  Esses atrasos podem gerar consequências graves desde insatisfação do cliente até processos jurídicos contra a construtora por extrapolar os prazos de entrega.

 

 

Custos reduzidos

 

     Ao terceirizar a empresa diminui os custos que teria se por acaso fizesse todos os serviços. Deixando de arcar com os custos de softwares e programas para a execução, de manutenção de equipamentos e capacitação dos profissionais e da contratação de um Engenheiro Eletricista. Sendo assim, todos esses custos são substituídos por um valor menor, referente ao contrato combinado da terceirização.

 

Projeto feito por um especialista

 

   A vantagem de um projetista especializado na parte elétrica também envolve toda a parte de conhecimento e atualizações do cenário de instalações e das últimas tecnologias lançadas. Consequentemente ele irá saber qual o melhor tipo de lâmpada e sua melhor distribuição para cada ambiente, a melhorar distribuição de tomadas de uso geral e de tomadas de uso específico, as características específicas dos fios condutores e dos conduítes, os dispositivos de proteção, o balanceamento de cargas, a eficiência energética e o fator de potência (no caso de uma edificação para indústrias e empresas que utilizam máquinas e motores ligados na rede).

     No caso de projetos elétricos não é diferente, o engenheiro especializado em Construção civil Edgard Murilo Debiasi Oliveira diz: “O projetista consegue simular uma situação real ainda em fase de projeto, antecipando a detecção de erros. Mesmo que em uma situação de obra o executor tenha experiência de outras, este não acompanhou todos os procedimentos de dimensionamento da mesma maneira que o especialista”.

 

Economia antecipada

 

     Ninguém quer chegar lá na frente da obra e perceber um erro que foi cometido por falta de conhecimento, e ao se tratar de projetos elétricos verificamos que pequenos erros podem levar a consequências caríssimas, fazendo com que a economia que era esperada no final, se tornar uma despes, saindo muito mais caro do que a contratação de uma mão de obra especializada.

     Como o Edgard Murilo Debiasi de Oliveira diz “O projeto no geral sempre irá permitir que você erre, e isso irá custar infinitamente menor que na obra, para um dimensionamento saber o número que é necessário trocar pode resolver o problema. Agora um problema na obra sem o uso de um projeto elétrico o custo seria além da perda dos materiais utilizadas caso não seja possível reutilizar em outra obra, teria que ser feito a compra de outros materiais para substituir além dos gastos para refazer e da demora que isso ocasiona na obra”.

 

E aí? Vamos fazer seu projeto elétrico?

Categorias
Energia Renovável Engenharia Elétrica

Energia Infinita: é realmente possível?

    Infelizmente temos que dizer que não é possível, mas calma, iremos explicar o porquê disso. Nos dias atuais, com a inovação da tecnologia, podemos observar um crescente uso da energia elétrica e devido a isso, muitos tentam buscar alternativas para economizar. Algumas ideias acabam dando certo, como painéis fotovoltaicos. Porém, outras ideias acabam não tendo esse mesmo sucesso e é aí que entra o gerador de energia infinita. Se pararmos para pensar, é algo que iria inovar o mundo, imagine poder gerar sua energia infinitamente, reduzindo exponencialmente seu gasto de energia sem problemas, sem preocupações, isso seria maravilhoso, não? Mas, deixando a ficção de lado e levando em conta o ponto de vista físico, esse gerador não se mostra nada viável.

Uma história movida por tentativas e erros

    No decorrer da história, podemos observar que alguns grandes cientistas demonstraram interesse pelo assunto envolvendo moto contínuo, como Bhaskara (conhecido pela fórmula que tanto amamos), o estudioso esboçou uma roda com recipientes na ponta, sendo estes preenchidos de mercúrio. A ideia era que o liquido se deslocasse permitindo a continuidade do movimento, porém ele não obteve sucesso. Seguindo o mesmo princípio, o francês Villard de Honnecourt tentou a proeza, alterando o modelo original, novamente o êxito foi inexistente. Mas isso não impediu do grande Leonardo Da Vinci esboçar seus próprios modelos, que anos mais tarde seriam testados e novamente descartados, comprovando que nem mesmo sua genialidade tornou possível a construção de um moto contínuo.

A física por trás do gerador de energia infinita

    Você deve estar se perguntando: Por que todos eles não obtiveram sucesso nesses experimentos? Encontraremos a respostas dentro da física, mais precisamente dentro do campo da termodinâmica. Segundo a primeira lei da termodinâmica, energia não pode ser criada, apenas transformada, ou seja, não podemos criar uma energia do nada, ela precisa ser transformada de algum lugar. Além disso, podemos complementar com a segunda lei da termodinâmica, que cita que certa quantidade de energia pode ser transformada 100% em calor, porém o contrário é impossível, pois sempre haverá perda. Em suma, um gerador desse tipo seria inviável, pois enquanto o aparelho funciona, ele estará perdendo energia na forma de calor, nem mesmo nos mecanismos mais eficientes alcançam um aproveitamento de 100%.

     Portanto, podemos afirmar que esse tipo de tecnologia ainda não é possível, mas provavelmente no futuro as respostas para esse enigma serão encontradas, pois existem muitos cientistas estudando o assunto e com a crescente evolução da tecnologia, novas portas são abertas todo dia para a humanidade. Talvez você tenha ficado triste com a notícia, pois está preocupado com seu consumo de energia e buscar alternativas para economizar.

    Mas não se desespere! Na INOVATECH fazemos serviço de Eficiência energética, no qual analisamos seu sistema elétrico e o ajudamos a encontrar medidas para otimizar seu custo de energia.