Revolução Industrial 3.0

Em meados do século XX, os principais países do setor industrial mundial, impulsionados pelas recentes descobertas tecnológicas, informacionais e científicas da época, iniciaram o que futuramente ficou conhecido como Terceira Revolução Industrial ou Revolução Técnico Científica Informacional.

Seguindo as tendências dos períodos anteriores, a Revolução Técnico-Científica apresentou tecnologias muito relacionadas com a eletrônica e a robótica, que correspondiam aos principais campos de pesquisa na década de 70. Tal progresso tecnológico afetou diversas áreas, alterando os meios de produção das fábricas e o estilo de vida da sociedade mundial, como exemplo, a modernização do setor de telecomunicações, com computadores modernos, torres de telefone e satélites de sinal para televisão e rádio, que possibilitaram o início da principal inovação do século XXI, a internet.

Durante as primeiras décadas da Terceira Revolução, outros campos industriais e sociais também foram modernizados ou criados com as recentes descobertas do período, como por exemplo, o avanço para o setor espacial e astronômico e o aperfeiçoamento de computadores e outros equipamentos cada vez mais rápidos e precisos. Esses progressos se tornaram essenciais para o desenvolvimento de estudos extraterrestres, que resultaram na corrida espacial entre as décadas de 60 e 80.

Assim como nas duas primeiras revoluções industriais, que apresentaram novos combustíveis para abastecer as máquinas das fábricas e seus respectivos produtos, a Terceira Revolução Industrial apresentou diversas formas de energia, que diferente das provenientes do petróleo e do óleo, se tornaram opções mais ecológicas pelo seu baixo ou nenhum dano à natureza. A energia solar e a energia eólica podem ser citadas como exemplo, assim como o surgimento das usinas hidrelétricas e nucleares, mostrando boa eficiência na produção em massa de energia elétrica.

A adaptação dos meios de produção foi necessária com a chegada da modernização das fábricas. Nesse contexto, surge o toyotismo, que tinha a função de adaptar o setor industrial para atender a crescente demanda devido a globalização, assim como o taylorismo e o fordismo, durante a segunda revolução industrial.

O toyotismo possui como principal característica a introdução de robôs e outras máquinas modernas na linha de produção das indústrias, estabelecendo a maquinofatura e, assim, aumentando a produtividade da fábrica e a qualidade do produto final. Além disso, o toyotismo estabeleceu que somente seria confeccionada a quantidade necessária de produtos para suprir a demanda existente, contrariando, dessa forma, os critérios do taylorismo e fordismo, que determinavam o maior número de manufaturados no menor tempo possível.

Vale a pena ressaltar que o século XXI ainda pertence à Terceira Revolução Industrial, porém, vivemos em um período em que as tecnologias focam na transmissão de informações. Desse modo, com a invenção da internet e do sinal via satélite, a transmissão de dados entre aparelhos foi possibilitada de maneira cada vez mais rápida e, assim, viabilizando o processo de globalização para os países do mundo.